CONTEÚDO ANDA

Entenda porquê não se deve usar medicamentos de uso humano em animais

“É considerado um número de casos alarmante”, avalia a patologista veterinária, especialista cirúrgica de cães e gatos, Lyah Lamarck, sobre a quantidade de tutores no município que medicam seus animais com remédios de uso humano.

132

27/06/2017 às 07:30
Por Sophia Portes, ANDA

Clínicas veterinárias de Imperatriz, Maranhão, atendem cerca de três casos semanalmente de gatos e cães com intoxicação por medicamentos. O fato é geralmente causado pelo uso sem prescrição médica de remédios de uso humano.

Paulo Henrique Soares Silva, médico veterinário e coordenador do Centro de Zoonose de Imperatriz (CCZ), conta que a principal causa da intoxicação medicamentosa em animais se dá pelo fato dos tutores acreditam que remédios de uso humano são benéficos também para animais. “Os tutores usam os remédios em dosagens erradas e sem nenhuma prescrição médica. Várias vez atendi em meu consultório casos de animas que apresentavam problemas de gastrite, vômitos e até mesmo úlceras devido ao uso excessivo de remédios”, lamenta Soares.

Tutor não deve jamais medicar animais com remédios humanos sem avaliação de especialista

Animais precisam passar por avaliação veterinária para tratamento (Foto: Reprodução / Gatos Mania)

O médico veterinário explica ainda que outro fator causador do problema é que os responsáveis dos animais usam essa prática para gastar menos no tratamento do animal, uma vez que uma consulta veterinária no município custa entre R$ 80,00 a R$ 100,00. Mas o barateamento inicial não compensa, avalia Paulo Silva, pois posteriormente o animal acaba passando mal e o tutor gasta muito mais do que gastaria se iniciasse o tratamento correto.

Para a veterinária Lyah Lamarck, a tentativa de baratear o tratamento acaba se tornando prejudicial para a melhora do animal, pois ele acaba se tornando resistente às doses corretas dos remédios. Ela explica ainda que além da intoxicação medicamentosa, o animal acaba desenvolvendo hepatite medicamentosa, isto é, uma grave inflamação no fígado gerada pelo uso de medicamentos, podendo evoluir para uma hepatite aguda como hepatite fulminante.

“Isso acontece principalmente quando os animais estão consumindo antibióticos indiscriminadamente fazendo com que a doença venha se tornar resistente a tais remédios aplicados de forma correta, isso dificulta extremante o tratamento adequado ao animal”, revela a veterinária Lamarck.

 

Veja abaixo uma lista dos medicamentos proibidos para gatos:

  • Ácido acetil salicílico (Aspirina)
  • Paracetamol (Tylenol, Anador)
  • Pseudoefedrina (Claritin, TylenolSinus, Loratadina)
  • Salicilato de Bismuto (PeptoBismol, Peptozil)
  • Iboprofeno (Advil)
  • Piroxican (Feldene, Inflamene)
  • Enema de Fosfato (FleetEnema)
  • Piretróide (Antiparasitário como Butox)
  • Levamisol (Ascaridil)
  • Azatioprina (Imuram)
  • Piridium
  • Diclofenaco potássio (Cataflan)
  • Diclofenaco sódico (Voltaren)

Alguns medicamentos proibidos para cães:

  • Diclofenaco de potássio (Cataflan)
  • Diclofenaco sódico (Voltaren)
  • Piridium
  • E a grande maioria dos anti-inflamatórios de uso humano
Gostou? Colabore com a ANDA Saiba como