CONTEÚDO ANDA

Saiba como evitar obesidade canina

Não só nos humanos, mas também nos animais a obesidade é apontada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como um dos maiores problemas de saúde pública no mundo.

183

24/06/2017 às 17:00
Por Janaína Fernandes, ANDA

Cadela Cherry foi diagnosticada com obesidade

Castração, má alimentação e falta de atividades físicas contribuem para obesidade

Um estudo realizado pela Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias da Universidade Estadual Paulista (Unesp), comprova que casos de animais com obesidade são cada vez mais comuns.

A obesidade pode causar problemas nas articulações, disfunções cardíacas e respiratórias em casos mais graves. O tutor deve observar alguns pontos que evidenciam o ganho de peso. “Os animais acima do peso tendem a ficar mais sedentários e podem apresentar intolerância a exercícios. Além disso, há dificuldade respiratória e de mobilidade”, explica a médica veterinária Carla Storino Bernardes.

Fatores como castração, má alimentação e falta de atividades físicas contribuem para o desenvolvimento da doença nos animais. A dona de casa Rosalina Vieira sabe muito bem disso: sua cadela Cherry sofre com o problema. “O veterinário me disse que ela começou a engordar por conta da castração. Além disso, ela é uma salsicha – dachshund – raça que tem propensão a esse problema”, conta Rosalina.

A tentação da tutora de dar petiscos ao animal pode colocar em risco sua saúde, mesmo quando ele tem uma dieta saudável, como é o caso de Cherry. “Ela faz exercícios e se alimenta duas vezes ao dia, mas é muito gulosa e implora por guloseimas”.

Os tutores devem tomar cuidado com a alimentação dos animais. “Atualmente, devido à maior preocupação dos proprietários e médicos veterinários com a qualidade de vida dos animais, existem rações de prescrição veterinária que têm função terapêutica para aqueles que estão com grande aumento de peso, precisando de um acompanhamento rigoroso em sua alimentação. Porém, pode ocorrer recusa no momento da troca da ração. Sendo assim, o ideal é que seja feita de forma gradual”, observa Carla.

Para evitar o excesso de peso nos animais, também é necessária uma mudança na rotina. Introduzir passeios periódicos é fundamental. “O ideal é que os passeios sejam em horários mais frescos, sem sol excessivo. Devemos sempre lembrar que as patas dos cães estão em contato direto com o asfalto e podem ocorrer queimaduras. Esta é uma preocupação séria que devemos ter quanto ao passeio dos animais. A frequência quem irá definir é o responsável de acordo com sua rotina e necessidade do animal, que será indicada junto ao clinico”, orienta a veterinária.

Animais sem raça definida não estão livres do problema. Porém, existem algumas raças mais predispostas à obesidade. Cocker spainel inglês, beagle, labrador, basset hound e dachshund são algumas delas.

Gostou? Colabore com a ANDA Saiba como