CONTEÚDO ANDA

Homem escreve linda carta de despedida para cão

Após a morte de seu cão doméstico, tutor escreve carta emocionante e divulga nas redes sociais amor por animal. Cão foi diagnosticado com câncer agressivo.

375

16/06/2017 às 12:00
Por Janaína Fernandes, ANDA

Cão foi diagnosticado com câncer

Tutor ficou com cão até último minuto de sua vida

O cão que vivia com Luiz Galeazzo desde que tinha apenas dois meses de vida, apresentava problemas de saúde e fraqueza, a ponto de não conseguir abrir os olhos.

Em um dia comum, o homem levou o animal até o quintal e de repente sentiu sua cabeça tombar, foi aí que Luiz levou o cão para hospital veterinário para averiguar a saúde do animal.

Chegando lá, o tutor foi aconselhado a permitir a morte induzida no cão, pois ele havia sido diagnosticado com câncer e as sessões de quimioterapia não seriam o bastante para salvar o animal.

Depois da morte do animal, Luiz resolveu homenageá-lo escrevendo uma carta, veja a seguir:

“Deus, eu não sei se o Senhor tem Facebook, se tem tempo livre para ler textos, ou se ao menos sabe que eu existo. Mas eu queria falar sobre o meu cachorro, o Lennon. Ele é esse cão majestoso, sorridente e bonito aí da foto. Tão bonito, aliás, que não derreteu só os corações de nós, humanos: até mesmo os outros cães pareciam admirá-lo, obedecê-lo, querer ser como ele. E sabe de uma coisa? Eles estavam certos. O Lennon levou a sério sua vocação de cão pastor. Ele cuidou de mim, me guiou, me protegeu. Ficou ao meu lado, alerta e forte, mesmo quando ninguém mais queria ficar. Eu era o rebanho mais precioso para ele, e fui guardado com uma lealdade, uma firmeza e, sim, um ciúme que pareciam não ter fim”.

“Assim como o seu amor. Ele fazia de tudo para me deixar feliz. Prestava atenção em tudo que eu dizia, com seus grandes olhos arregalados, mesmo que não entendesse uma só palavra. Dançava, se jogava e rolava no chão, fazia papel de bobo mesmo sendo um dos seres mais inteligentes que eu já conheci. Caminhava ao meu lado sem guia nem coleira, pulava em cima de mim feito um cão de colo, até comia quando não tinha fome – e olhava pra mim com o canto do olho, como um filho esperando minha aprovação. Não tem como você não se sentir especial ao ser amado por uma criatura tão linda e pura. Eu estou falando tudo isso, Deus, porque hoje o câncer o levou de mim”.

“Eu e minha namorada fizemos tudo que estava ao nosso alcance para evitar isso. Cozinhávamos comidas diferentes para vencer a perda de apetite que a quimioterapia causava. Dávamos remédio e comida na boca. Nos últimos dias, eu o carreguei em meus braços por toda a casa. Tentei tranquilizá-lo, falando em seu ouvido o quanto eu o amava e como nunca iria deixá-lo. Fui forte por ele, como tantas vezes ele foi por mim. Segurei em sua patinha trêmula e fiquei com ele até o último batimento de seu lindo coração. Ele já deve estar chegando aí, Deus. Peço que brinque com ele, role na grama, corra, cante musiquinhas bobas, tire selfies e coce a barriga dele, sabe, todas essas coisas tão simples, mas que nos davam tanta alegria. Por favor, cuide bem do meu cãozinho, até chegar o momento de eu ir para aí e me reencontrar com ele. Para que eu seja merecedor disso, vou me esforçar em ser um bom homem. E me inspirar no Lennon. Afinal, ele foi um bom menino”.

Sem alternativas, tudo o que o tutor pode fazer foi ficar com o cão até o último minuto de sua vida. “Mas aí a oncologista dele retornou a mensagem que eu havia mandado para ela antes de ir à clínica e disse que já era hora mesmo. Fiquei com ele até o último minuto, a mão no focinho do Lennon”, se emociona Luiz em entrevista ao jornal Extra.

O publicitário conta que o post foi uma demonstração de amor profundo pelo animal. “Eu abri meu coração mesmo, escrevi o post algumas horas depois do meu Lennon morrer. Levei um susto quando vi a repercussão. Mas fico feliz porque muitas pessoas puderam agora saber o quanto ele era incrível”, contou ele.

Gostou? Colabore com a ANDA Saiba como