CONTEÚDO ANDA

Cão fica traumatizado após ser aprisionado durante nove anos

Durante nove anos, o cão Dick viveu aprisionado em uma garagem em Maizicourt, na França

6.024

16/06/2017 às 06:20
Por Redação

Felizmente, o adorável Brittany Spaniel foi resgatado pela organização Fondation 30 Millions d’Amis. O grupo  entrou em ação depois que uma denúncia foi arquivada e salvou o cão de seu pesadelo.

Cão Dick foi forçado a viver em garagem durante 9 anos

Foto: 30 Millions d’Amis

“Dick nunca viu o céu, nunca sentiu a grama debaixo de seus pés, nem o vento no rosto. Era extremamente quente na garagem e o cheiro era insuportável”, explicou Flore, um membro da organização.

O cão vivia no meio de seus excrementos e só se alimentava de lixo ou restos de comida. Como nunca recebeu afeto na prisão onde nasceu, ele ficou extremamente apavorado durante o resgate.

“Ele estava tão amedrontado que correu e se deitou no fundo de seu esconderijo”, continuou Flore.

Os membros da associação foram extremamente pacientes e trabalharam para conquistar a confiança de Dick e, lentamente, o habituaram ao mundo exterior.

“Tentamos colocar uma coleira sobre ele, mas ele se recusou. Nós o levamos para o carro onde ele ficou enrolado como bola no banco. Mal conseguia olhar para nós e estava tremendo”, acrescentou Flore.

O grupo de resgate explicou que o explorador do cão aceitou entregá-lo e que foram feitas acusações de negligência contra ele, informou o The Holidog Times.

O cão foi resgatado e está aprendendo a confiar nos humanos novamente

Foto: 30 Millions d’Amis

Dick mudou-se para o abrigo Buigny Saint-Maclou, onde está aprendendo a confiar nos seres humanos.

A jornada para a recuperação ainda é longa para o cão traumatizado. De acordo com o abrigo, Dick ainda parece incapaz de desfrutar de sua nova vida.

“O pobre animal não sabe andar, não consegue se levantar, está fora de lugar, fora do tempo, passivo, esperando por nada. […] Ele recusa todos os alimentos, tudo o que conhece é o lixo, alimentos diferentes não são apetitosos para ele”, escreveu a fundação em seu site.

“Ele ainda está extremamente perturbado. Está aterrorizado com as pessoas. Assim que o tocamos, fica congelado e treme”, acrescentou um voluntário.

Graças à paciência e à ternura da equipe, Dick possui uma boa chance de se recuperar e aprender a amar a vida. “Paciência Dick, pouco a pouco, pobre cão. Todos os dias um pouco mais de vida. Sua vida começará aos nove anos”, concluíram os voluntários que cuidam dele.

 

 

Gostou? Colabore com a ANDA Saiba como