CONTEÚDO ANDA

Cadela morre por falta de atendimento em Hospital Veterinário de Recife

Em menos de uma semana após a inauguração do Hospital Veterinário do Recife (HVR), pessoas têm denunciado falta de atendimento de animais na unidade.

1.488

15/06/2017 às 18:23
Por Sophia Portes, ANDA

Uma mulher compartilhou um vídeo nas redes sociais, que mostra uma criança chorando pela morte de cadela que não conseguiu atendimento no hospital. O caso ocorreu  nesta terça-feira (13), um dia após o início dos atendimentos na unidade.

Outro depoimento diz que uma tutora, Jéssica Dayane, foi impedida de entrar na unidade e teve que ficar na chuva com uma poodle de 11 anos, que sofria com sangramentos.

Poodle idosa aparece deitada após operação feita em clínica particular

Cadelinha da raça poodle também não conseguiu atendimento na unidade (Foto: reprodução / Facebook)

“Quando cheguei, as grade estavam fechadas e o segurança disse que não tinha autorização para deixar ninguém entrar porque já estava lotado lá dentro. Começou a chover e não abriram a porta nem para a gente se proteger. Fiquei esperando meia hora, mas como minha cadela estava sangrando e vomitando, procurei uma clínica particular que me cobrou R$ 300 para fazer uma cirurgia no útero”, conta Jéssica, que afirma estar desempregada e que, apesar dos esforços, a cadelinha ainda corre risco de vida.

protetora de animais Sandra Araújo, de 49 anos, que tentava conseguir atendimento para uma cadelinha que sofria com febre, disse que muitos animais não tiveram atendimento nesta terça-feira (13).

“Eu cheguei pouco antes das 14h e já tinham muitos animais. Só muito tempo depois apareceu um homem que nem era veterinário querendo fazer a triagem ali mesmo na rua. Tinham animais convulsionando e um cachorro nem conseguia ficar em pé”, explicou, indignada.

Ela conta que, mesmo após horas de espera, não conseguia atendimento para sua cadela. “Eu fiquei esperando a triagem por quase duas horas e, quando chegou minha vez, o homem disse que o problema da minha cadela não era emergencial, que eu só seria atendida quando marcasse uma consulta. Voltei para casa, estou medicando sem prescrição e tentando ligar para marcar consulta, mas só da ocupado”, conta.

Sobre as denúncias feitas, a Secretaria Executiva de Direitos Animais de Recife, responsável pelo Hospital Veterinário, informou em nota que não houve falta de atendimento e superlotação.

O texto afirma que somente nos dois primeiros dias de atendimento “foram feitos 283 atendimentos – mais do que os cerca de 200 previstos por causa da grande procura da população devido à histórica demanda reprimida”

Segundo informações da Secretaria. a unidade funciona em horário comercial e os atendimentos clínicos devem ser pré-agendados por meio dos telefones 3355-9415 e 3355-8179.

“Já para as emergências, não é necessário a marcação, mas os animais precisam ser levados por um adulto e passam por uma triagem feita por veterinários para saber se o caso é realmente urgente ou se é possível aguardar agendamento”, diz em nota.

Vídeos compartilhados mostram as grades do hospital fechadas enquanto tutores pedem atendimento aos seu animais doentes. Veja a seguir:

Gostou? Colabore com a ANDA Saiba como